MARTHIRIA / MA

A porradaria vem direto da Ilha do Caos, Maranhão...!

Iniciando o martírio, o sofrimento e a dor em meados de 2005, a banda Marthiria bebeu na fonte do thrash metal das décadas de 80 e 90, e agora em 2008, consolidou seu trabalho lançando um EP intitulado "Sobrevivendo ao Caos".

Apresentando um som agressivo e bem executado, o Marthiria vem cuspindo opiniões em português e tocando em feridas ainda não cicatrizadas da sociedade.

Os riffs distorcidos e nervosos, unem-se aos vocais sujos de André Nadler, fazendo com que as sete (7) canções autorais deste EP ecoem para além de São Luis e criem boas espectativas em relação a divulgação da cena (?) Ludovicense.



INTEGRANTES:

André Nadler - guitarra/vocais
Jonas Sakamoto - guitarra
Ado Emilio - contrabaixo
Rafael Rodriguez - bateria

 

 ║║║║║ ENTREVISTA ONLINE ║║║║║

 

MI - "Sentenciado" foi o nome usado em uma demo de estréia do Marthiria. Esse material está disponível ainda? E o que vocês aproveitaram dessa fase inicial da banda?

MARTHIRIA: Primeiramente queríamos agradecer a oportunidade que foi nos dada de expor nossas idéias e divulgar o nosso material. Bem, quanto a primeira demo do Marthiria, "Sentenciado", ela foi lançada em 2006 e não deixamos ela mais disponível na internet. Com a mudança de estilo, ideais, e até na formação da banda, decidimos deixar esse trabalho e “reformar” a banda em todos os sentidos. E quanto ao que aproveitamos da fase inicial da banda, aproveitamos bastante em relação à experiência, apreendendo a superar as dificuldades, aprendendo com os erros e tropeços que temos, sempre buscando melhorar e nos aperfeiçoarmos.

 

MI - Qual o motivo da saída de Gustavo Simas para a entrada de Jonas na guitarra?

MARTHIRIA: Diferenças musicais, problemas em relação à disponibilidade de tempo para trabalhar na banda foram alguns dos motivos da saída do Gustavo do Marthiria. O período que o Gustavo trabalhou conosco foi muito bom pois evoluímos muito e também por que na época estávamos começando e nos firmando como banda e ele nos ajudou muito quanto a isso.

 

MI - Quem fez a arte da capa do EP? Qual o significado específico do estudo de Leonardo Da Vinci?

MARTHIRIA: Bem, a capa do EP “Sobrevivendo ao Caos” foi feita por nós mesmos assim como o resto da arte produzida no EP. O fato de colocarmos a arte do Leonardo Da Vinci (O estudo dos embriões) foi idealizada mais pra se encaixar com o título da demo e deixar exposto que nos dias de hoje nem um ingênuo e indefeso “feto” pode escapar e sobreviver ao caos e a desordem que vivemos atualmente. Deixar explicito também que a partir da hora que somos gerados já estamos em meio ao caos, tendo que sobreviver a todo o desespero e miséria que é viver a vida que vivemos hoje.

 

MI - Como foi participar da coletânea oficial do site "DIAS DE FÚRIA Vol. I"?

MARTHIRIA: Bem, foi muito boa a oportunidade de termos participado de uma coletânea como essa, pois ajudou muito na divulgação do nosso trabalho, ainda mais sendo promovida pelo Dias de Fúria que é um movimento de renome nacional. Esperamos poder participar novamente, não só dela como de outras, pois ainda precisamos divulgar nosso material, ainda mais por que estamos em uma nova fase, bem mais “from hell” e com muita sede e gás de tocar e divulgar nosso trabalho!!!

 

MI - Fale um pouco da cena (se é que ela existe...) metal de São Luis.

MARTHIRIA: A Cena em São Luís está retomando força total novamente. São Luís já teve a felicidade de ser sede de muitos shows bons como: Destruction, Cannibal Corpse, Krisiun, Claustrofobia, Torture Squad, Ratos de Porão entre outras, passou um tempo em baixa, mas está se reerguendo novamente e com toda a força. Os headbanguers estão voltando com força total na ilha do Caos, e em breve, cremos que São Luís voltará a ser rota de grandes shows novamente. O preconceito em relação ao metal aqui ainda é grande, mas cabe as bandas, aos headbangers, enfim, todos nós resistirmos!

 

MI - Porque cantar em português?  ou... porque não?

MARTHIRIA: A idéia de cantar em português é mais pelo fato de diferenciar mesmo, de fazermos algo dentro da nossa língua e trabalhar da forma mais “brasileira e nordestina” possível. Já pensamos em mudar para o inglês na época em que estávamos “reformando” a banda, mas acabamos preferindo ficar mesmo com as letras em português, mesmo sabendo que é bem mais difícil trabalhar com letras na nossa língua.

 

MI - Quais os próximos passos do Marthiria?

MARTHIRIA: Brevemente estaremos regravando este EP, só que dessa vez ele sairá como CD mesmo e com, provavelmente, 10 músicas, até o meio do ano que vem. Continuamos viajando e divulgando nosso material em shows fora e dentro da nossa cidade, abrindo pra outras bandas e fazendo o que mais gostamos que é tocar e ver o underground mais forte a cada dia.

 

MI - E pra finalizar, seguindo um bom clichê... sua mensagem final para os atuais e os futuros fans da banda!

MARTHIRIA: Queremos pedir à todos que nos ajudem mesmo, não só a nós, mas à todas as bandas que estão no underground divulgando seu material com muita dificuldade, que defenda a cena e o metal com toda força e que tenha orgulho de ser mais um “camisa preta” nessa porra de país que vivemos.

Queremos agradecer também à todos que nos ajudaram e apoiaram até hoje e a todos que fazem algo pelo metal em sua cidade, estado, bairro etc.

E é isso aí, estamos aqui pra propagar o caos, a desordem, o terror e o velho e bom metal que nunca morrerá, e incomodando o quanto for preciso os filhos da puta que tentam derrubar a nós e ao metal!

Marthiria

Porradaria direto da ilha do Caos!!!

Thrash Metal from Maranhão!!!  

 

Hail Metal!!!

 


CONTATO:

www.myspace.com/marthiriazone

 

 

Pesquisar no site

Metal Island © 2015 Todos os direitos reservados.